Muitas vezes sentimos que nosso cérebro está com sua capacidade menor, seja pela idade, pelo stress do dia a dia....enfim, tentamos justificar nossos esquecimentos de várias formas.

Mas a verdade é uma só. Nosso cérebro não depende de ser jovem para ter sua capacidade em plena forma. O que precisamos é fazer uso da NEURÓBICA, que é uma alusão ao exercício físico, então podemos dizer que é uma espécie de aeróbica cerebral.

Claro que envelhecer, é natural, e os pequenos esquecimentos chegam sem pedir licença, mas existe a boa notícia de que estes esquecimentos não indicam qualquer doença grave e que podemos sim tomar providências para combatê-los.

 O declínio mental, vem simplesmente da redução do número e complexidade das dentrites, que são os prolongamentos ramificados das células nervosas que recebem e processam as informações das outras células nervosas, formando a base da memória.

 

Neurônio

 

 Entre as dentrites, temos as sinapses (conexões) em nosso cérebro, estas fazem a comunicação (conexão) entre as células nervosas em nosso cérebro.

 Quando há uma “quebra” nestas sinapses, isto dificulta a recuperação de informações antigas e reduz a capacidade do cérebro de incluir novas informações na memória, pois as células nervosas precisam de comunicar permanecerem saudáveis.

 E vale lembrar aqui, que pelas sinapses passa a nossa atenção, onde lembramos das pessoas que tem o diagnóstico de TDA. A atenção não vai para onde deve se existe a citada “quebra”, então, naturalmente, ela volta, daí dizemos que a criança ou adulto, “viaja”.

 Então, voltando à Neuróbica que tem como objetivo, ajudar o cérebro a manter um nível permanente de capacidade, força e flexibilidade mental à medida que vai ficando mais velho, existe um programa de exercícios que envolve combinações com nossos sentidos – visão, olfato, tato, paladar e audição, além da emoção.

 Estes exercícios oferecem ao cérebro, experiências inesperadas fora da rotina, fazendo com o que diferentes áreas do cérebro entrem em conexão e fazem com que as células nervosas produzam nutrientes naturais como as neurotrofinas, que promovem a saúde das células nervosas e das sinapses, aumentando de maneira importante o tamanho e complexidade das dentrites das células nervosas, e elas também, tornam as células a redor mais fortes e resistentes aos efeitos do envelhecimento.

 A Neuróbica tem como base científica, os avanços de diversas pesquisas de como é a organização cerebral, como ele adquire e guarda informações e como certas atividades cerebrais produzem os nutrientes naturais do cérebro.

 Mas para completar este assunto, precisamos citar uma dupla que trabalha sem parar, o Córtex Cerebral que é a sede do aprendizado, é parte responsável pelas faculdades da memória, linguagem e pensamento abstrato e o Hipocampo que coordena o recebimento das informações sensoriais que vêm do córtex , organizando-as em memórias as quais armazenam informações baseando-se em dois fatores: se a informação tem significado emocional ou se está relacionada a alguma coisa que já sabemos.

 Córtex e Hipocampo juntos, formam vínculos e associações, colocam em jogo os sentidos, além do hipocampo ser responsável pelos mapas mentais.

 Destacamos aqui, que a deficiência mental envolve estas duas partes de nosso cérebro.

 Bem, depois de falarmos de algumas partes que compõem nosso cérebro, e diga-se de passagem, partes importantíssimas, vamos aos exercícios Neuróbicos, que é nosso foco para mantermos a saúde do nosso cérebro.

  •  -combine dois ou mais sentidos: escute uma música enquanto sente um perfume;

  •  -vista-se de olhos fechados;

  •  -faça uma refeição com a família em silêncio;

  •  -treine sua atenção virando as fotos que estão em sua mesa, de cabeça para baixo;

  •  -escolha um caminho diferente para ir ao trabalho;

  •  -vá a feira livre ao invés de ir ao supermercado;

  •  -ouça músicas novas;

  •  -assista a novos filmes;

  •  -conheça pessoas diferentes.

  •  -tome banho de olhos fechados, prestando atenção a cada movimento;

  •  -escove os dentes com a outra mão;

  •  -tente tatear um clips, uma borracha, uma régua, um prego com a outra mão;

  •  -experimente alimentos diferentes tampando o nariz;

 

E para finalizar, cultivar um jardim, também significa cultivar um cérebro, pois você coloca em ação o planejamento, a capacidade espacial, decisão, direção, apalpa a terra, cheira flores, prove ervas.

 Assim, seu cérebro estará em forma e um lindo jardim está sendo cultivado.

 E não podemos esquecer que, ler também é um excelente exercício Neuróbico!!!

 A partir de agora, nossos cérebros estarão em plena forma, tenho certeza!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Danielle Manera Ramalho