A infância é o período fundamental para a formação na vida do ser humano.A criança pequena precisa de um meio para se desenvolver em seus aspectos sócio-emocional, afetivo, motor e cognitivo, sendo a principal aquisição da criança neste período, a linguagem. Ao final do 3º ano de vida, a criança já domina o corpo, é autônoma na locomoção e têm as bases da fala formadas, sendo a maior preocupação nesta fase, “absorver o mundo”.

 

Nosso cérebro é o órgão onde ficam gravadas as experiências afetivas dos indivíduos, as aprendizagens, e é também o órgão que controla várias funções físicas, além de ter como componente o sistema límbico responsável por controlar nossas emoções, nele está nossa memória a qual possui uma grande plasticidade.

 

O desenvolvimento do cérebro não é autônomo e independente do meio, por isto, o que a criança realizar na sua vida cotidiana, desde o nascimento, estará contribuindo para o desenvolvimento das funções cerebrais.

 

O desenvolvimento infantil é integrado onde a criança se desenvolve física, psicológica e intelectualmente e o amadurecimento de seu sistema nervoso acontece desde o nascimento, no terceiro ano de vida, a configuração do cérebro está muito próxima a do cérebro adulto quanto ás várias partes ativas.

 

As emoções têm papel muito importante no desenvolvimento do ser humano por toda a vida, mas é sem dúvida, nos primeiros meses de vida que elas terão o papel de garantir a sobrevivência do bebê e o desenvolvimento da noção do EU.

 

É muito importante para o desenvolvimento infantil, o tempo, o espaço, a comunicação, as práticas culturais, a imaginação e a fantasia, a curiosidade e a experimentação, onde devemos destacar também a brincadeira que é forma de experimentação e de apropriação da cultura, é a possibilidade de a criança ampliar sua experiência. A brincadeira, segundo Vygotsky, favorece a zona de desenvolvimento proximal, pois ela define funções que ainda não amadureceram.

 

Vejo esta “grande” etapa da vida humana, com muita atenção, cuidado, paciência, respeito e carinho especiais! Afinal, as crianças são “adultos em miniatura” e nós, educadores e pais, somos os condutores rumo ao amadurecimento.

 

 

 

A criança se apropria da cultura e dos conhecimentos para dar continuidade ao percurso histórico que o ser humano realiza há muitos milênios”.